Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Post 27

por Cordoba, em 13.09.12

Hoje tive um sonho!

Sonhei que tinha ouvido uma Senhora Procuradora do Ministério Público dizer que não havia corrupção em Portugal.

Durante o sonho nunca vislumbrei nenhum banco chamado BPN, nunca vislumbrei nenhum Freeport, nunca vislumbrei nenhum Primeiro-ministro que tendo chegado à política teso que nem um carapau ao sol, passados alguns anos no poder, tenha uma fortuna avaliada em centenas de milhões de euros, tendo fugido para o estrangeiro, nunca vislumbrei algum senhor chamado Vale e Azevedo, nunca vislumbrei nenhum Presidente de Câmara Municipal envolvido em casos de recebimento ilícito de dinheiro, nunca vislumbrei pessoas envolvidas em desfalques ao Ministério da Saúde, nunca vislumbrei “festas” nas obras realizadas nas escolas portuguesas, nunca vislumbrei lavagens de dinheiro para Offshore, nunca vislumbrei antigo deputado envolvido em casos de branqueamento de capitais e demais crimes, em suma, Portugal vivia na mais pura honestidade.

Qual não foi o meu espanto quando acordei e me apercebi da realidade e verifiquei que tudo não passava efectivamente dum sonho. Ainda meio estremunhado apercebi-me que o melhor era tomar consciência e voltar ao pesadelo de tais afirmações.

É verdadeiramente vergonhoso ver uma pessoa com altas responsabilidades na justiça em Portugal dizer tamanha baboseira. É verdadeiramente vergonhoso ver a acção do Ministério Público na condução de processos que depois de passarem anos em investigação são arquivados sem se apurarem responsabilidades. É vergonhoso ver o Ministério Público ser tão célere a levar a Tribunal pobres que roubam um pão para comer, com custas processuais de milhares de euros, mas não actuar com a mesma celeridade em verdadeiros roubos ao erário público de centenas de milhões. Em resumo, é uma vergonha nacional a actuação do Ministério Público em Portugal.

No entanto, tal não me surpreende quando diariamente se ouvem notícias das “ligações” do poder judiciário ao poder político e vice-versa.

Dizia a referida senhora que não fazia “caça às bruxas”!

Como é sabido, um cidadão que compre um carro de elevado preço tem que justificar ao Estado como obteve condições para comprar tal veículo. Porém na opinião dessa senhora, ver um individuo chegar à política sem um tostão furado e passados poucos anos ter um património descomunal sem se saber de onde veio tanto dinheiro é “caça às bruxas”! Ver tanta gente a enriquecer não se sabendo bem como sem que as autoridades competentes investiguem é “caça às bruxas”! Ver Presidentes de Câmara receberem dinheiro ilicitamente sem serem exemplarmente condenados é “caça às bruxas”! Olhar para a sociedade portuguesa e “cheirar-se” corrupção por todo o lado sem que ninguém faça nada é “caça às bruxas”!

A isso não se chama “caça às bruxas” chama-se sim caça aos corruptos! E isso, não se vê, de modo transparente, isento e correto o Ministério Público fazer.

Tendo sido educado por uma analfabeta, foi instruído para respeitar as pessoas, ser honesto, verdadeiro e nunca deixar de ter princípios morais.

Hoje, não consigo ter nenhum respeito pela justiça em Portugal. Esta é composta por gente incompetente, preguiçosa e sem o mínimo sentido de justiça e moralidade, acompanhando a classe política no que de pior há.

Em vez de trabalharem, o que se vê é esses senhores em cerimónias de abertura de anos judiciais, encerramentos de anos judiciais, mais uma cerimónia para aqui, mais uma cerimónia para acolá e, no fim de tudo, vemos processos arrastados nos Tribunais por décadas, ladrões a serem absolvidos, mendigos a serem condenados, tubarões a verem prescrever processos por inoperância dos Tribunais, etc.

Fui educado para ter respeito pela justiça no tempo em que a justiça merecia respeito. Hoje, a justiça não me merece respeito nenhum.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:52


Post 26

por Cordoba, em 13.09.12

Tenho nojo de político!

Há umas semanas, todos ouvimos o “garoto-mor” dizer que se estava a “lixar para as eleições”!

No entanto, hoje tenho a certeza que o “garoto-mor” está-se é a lixar para o povo. O que importa é continuar a proteger os verdadeiros “CHULOS” da sociedade portuguesa.

Enquanto o “garoto-mor” convida os portugueses a emigrar, existem “CHULOS” na sociedade que, protegidos pela corja de políticos, “CHULOS” e incompetentes que, desde o 25 de Abril, têm desgovernado para o povo e governado para os “CHULOS”, ainda têm o arrojo e pouca vergonha na cara, de virem a público reclamar.

Um desses “CHULOS” faz parte do Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos.

Depois de ter lido uma notícia e pesquisado na internet, fiquei com a certeza do porquê de tanta austeridade para o povo. A preocupação principal do Governo português é continuar a pagar estas autênticas loucuras de salários a muitos “CHULOS” e, para isso, tem que roubar ao povo.

 

REMUNERAÇÕES NA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS 23 DE JULHO DE 2011 – 31 DE DEZEMBRO 2011 (5 MESES)

 

Presidente

CA

Eng. Faria

de Oliveira

Presidente

CE

Dr. José

Agostinho

Matos

Vice‐

Presidente

Prof.

Doutor

Nogueira

Leite

Vice‐

Presidente

Dr.

Norberto

Rosa

Vogal

Dr. Jorge

Tomé

Vogal

Dr.

Rodolfo

Lavrador

Vogal

Dr. Pedro

Cardoso

Vogal

Dr. Nuno

Fernandes

Thomaz

Remuneração Anual

100.024,36

119.339,10

83.539,75

81.835,15

81.571,82

81.571,82

81.835,15

83.539,75

Acumulação de funções de gestão

 

 

 

16.051,03

 

 

16.051,03

 

Gastos na utilização de comunicações móveis

635,40

1.111,68

2.448,34

619,29

686,55

12.618,34

30.021,08

2.484,81

Subsídio de refeição

865,80

1.110,00

1.110,00

1.132,20

1.154,40

577,20

455,10

1.054,50

Outros

 

 

95,90

 

98,89

269,73

33,54

424,20

Automóvel

     Mercedes-

Benz

BMW

Audi

    Mercedes-

Benz

    Mercedes-

Benz

Audi

Audi

    Mercedes-

Benz

Modelo

S 320 CDI

535d Auto

A7

Sportback

3.0T

S 320 CDI

E 350 CDI

A6 3.0

AllRoad

A6 3.0 AllRoad

E 250 CDI

Valor da renda média mensal da viatura de serviço

1.929,45

1.266,30

1.305,45

1.832,17

1.567,00

1.507,07

1.613,84

1.198,16

Nº de meses a que o valor total das rendas pagas com a viatura de serviço diz respeito

5

2

4

5

5

5

5

1

Valor do combustível gasto com a viatura

2.463,86

286,41

2.149,85

1.250,60

1.555,18

1.524,07

924,44

150,57

Nº de meses a que o valor do combustível gasto com a viatura de serviço diz respeito

5

2

4

5

5

5

5

1

 

Por definição, “CHULO” é um parasita que vive à custa das prostitutas.

Porém, as prostitutas trabalham e têm dignidade, qualidade que os “CHULOS” não têm, sendo proxenetas que vivem à custa do trabalho das prostitutas.

Portugal só se conseguirá desenvolver no dia em que o povo que trabalha arduamente, banir da sociedade estes “CHULOS” políticos e não políticos, que vivem principescamente à custa de quem trabalha e mal ganha para comer e viver dignamente.

Como toda a criança tem, gostaria de ver o “garoto-mor” ter um acesso de maturidade e vir convidar este e os outros “CHULOS” a emigrarem.

É este o Portugal que o povo quer? Foi para isto que se fez a Revolução?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03


Post 25

por Cordoba, em 11.09.12

Tendo assistido à comunicação do Sr. Ministro das Finanças de Portugal, tenho sinceramente que tirar o chapéu ao “garoto-mor” que governa Portugal.

Aquando da sua intervenção, fiquei claramente a saber que, os trabalhadores vão descontar mais 7% dos seus salários e que, os patrões vão meter ao bolso 5,75% da massa salarial das empresas.

Pensava eu que, na comunicação do Sr. Ministro das Finanças, seriam explicados de modo claro os cortes nas obesidades do Estado português para que se alcance a tão proclamada equidade fiscal.

Para meu grande espanto, o que ouvi do Sr. Ministro das Finanças foi mais ou menos o seguinte:

 

A prática mostra que o desenvolvimento de formas distintas de actuação assume importantes posições na definição das opções básicas para o sucesso do programa.

É fundamental ressaltar que a análise dos diversos resultados oferece uma boa oportunidade de verificação dos índices pretendidos.

Assim mesmo, a expansão da nossa actividade exige precisão e definição dos conceitos de participação geral.

Nunca é demais insistir que o novo modelo estrutural aqui preconizado contribui para a correta determinação das nossas metas financeiras.

Por outro lado, a execução deste projecto acarreta um processo de reformulação dos índices pretendidos.

 

Entenderam? Para os que a resposta é sim os meus parabéns. Para os que não perceberam, juntem-se a mim, pois também não percebi nadinha.

Quantos Institutos vão ser encerrados e qual o valor que o Estado vai deixar de pagar?

Quantas Fundações vão deixar de receber dinheiro do Estado?

Quanto vai ser a redução do salário dos Deputados, Ministros, Secretários de Estado, Subsecretários de Estado, Presidente da República, Gestores públicos e demais parasitas que vivem na órbita do Estado e à custa dos portugueses?

Quanto vão reduzir nas rendas às grandes empresas?

Quanto vão reduzir nas transferências para as Parcerias Público/Privadas?

Quanto vai ser o imposto sobre o grande capital?

Quanto vão pagar os tubarões que continuam a esconder o dinheiro nos offshore.

Quanto vão pagar aqueles senhores que recebem reformas astronómicas e ainda acumulam com as mesmas, 50.000€ de salário mensal?

Quantos Gestores públicos, Secretários de Estado, Subsecretários e demais parasitas vão deixar de ter carro pago pelo povo?

Quantas empresas municipais vão ser extintas?

Quantos Municípios e Juntas de Freguesia vão ser extintos deixando de ser autênticos sugadores de dinheiro público para darem “tacho” a muitos amigos.

Em resumo, quanto vai poupar o Estado cortando de forma objectiva nos salários e mordomias dos parasitas que gravitam em volta do Estado?

Ouviram alguma coisa? Eu não ouvi.

Aqui está o modelo de transparência e equidade desta corja que governa Portugal.

Quando é para ir aos bolsos de quem trabalha, sabem vir a público sem o mínimo pudor esclarecer de modo objectivo e concreto quanto é o aumento. Quando se trata de cortar nos tubarões aparecem com discursos vagos dando conhecimento de medidas de interpretação dúbia que ninguém consegue saber concretamente quais são mas que, passado algum tempo, se sabe que não foram nenhumas.

É a isto que o Sr. Presidente da República chama equidade? É isto que o Sr. Presidente da República classifica como “os sacrifícios têm que ser agora suportados por aqueles que ainda não foram afectados”?

Aí está a canalha no seu melhor!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:05


Post 24

por Cordoba, em 11.09.12

Acabei de presenciar mais uma actuação verdadeiramente escandalosa de mais um “garoto” que tem a mania que é político.

Após as declarações do “garoto-mor”, vem o “garoto” que lhe faz oposição para os órgãos de comunicação social dizer mais uma quantas garotices mas não concretizando nada.

Como a garotice é generalizada e seguindo as pisadas do “garoto-mor” que rapidamente tratou de informar os seus “vassalos” mais pomposamente chamados de assessores, vulgo “aspones” (assessores de porra nenhuma), para contornarem as perguntas dos jornalista quanto aos aumentos agora anunciados, contornou o “garoto” também as perguntas, isto é, não concretizou nada mas afirmou que o que tinha a dizer já tinha dito.

Em tempos, enviei e-mail ao “garoto” reclamando das politicas seguidas pelo seu “objecto político não identificado”, tendo recebido como resposta que o “garoto” andava muito ocupado e que, oportunamente me responderia. Continuo à espera que o “garoto” me responda. Se o “garoto” não responde enquanto não é o “dono da bola”, imagine-se quando for promovido a “garoto-mor” e só jogar quem ele quiser porque a bola é dele.

Tendo ocorrido recentemente formações universitárias para futuros políticos, não me surpreende que, à falta de arranjar pessoas honestas com vontade de servir o país, pessoas que tenham ética, moral, princípios e acima de tudo, sentido de responsabilidade, se tenha que optar pela formação de mais “garotinhos”, ensinando-os desde tenra idade a serem mentirosos, canalhas e velhacos.

Nos últimos tempos tem-se ouvido nos órgãos de comunicação social a notícia que, determinado partido político, pretende implementar uma direcção “bicéfala”.

Tenho que reconhecer que tal ideia no mínimo é original.

Se analisarmos a actuação da classe política em Portugal desde o 25 de Abril de 1974, com facilidade se chega à conclusão que, desde essa data, Portugal tem sido governado por pessoas que são anencéfalas.

Efectivamente uma pessoa que – acabado de pela terceira vez, comunicar ao país que vai continuar a roubar descaradamente os trabalhadores em Portugal para alimentar principescamente os seus barões, contrariando tudo o que tinha apregoado durante a última campanha eleitoral – vai alegremente assistir e cantar para um concerto ao vivo, só pode ser uma pessoa vazia de tudo. Vazia de sentimentos, verdade, moral, ética, princípios e, acima de tudo, vazia de cérebro.

As pessoas que são vazias de cérebro não são capazes de tomar decisões por si e, como tal, tornam-se autênticas marionetas daqueles que, tendo um cérebro virado para os objectivos mais obscuros e sinistros, dão ordens aos anencéfalos para que estes façam o que eles mandam.

No entanto, ser bicéfalo não é sinónimo de inteligência. Se o fosse, os bicéfalos, já tinham apresentado na “Casa da Hipocrisia” medidas para cortarem nos principescos salários dos deputados e membros do Governo, já tinham identificado um a um os Institutos que albergam os barões e apresentado propostas para a sua eliminação, já tinham identificado uma a uma as Fundações que recebem dinheiro do Estado para servirem apenas para albergar mais uns quantos barões, já tinham apresentado propostas para acabar com os principescos menus dos restaurantes da “Casa da Hipocrisia” enquanto o povo morre à fome.

Mas os bicéfalos não apresentam propostas para nada que mais tarde lhes pode tirar o “tacho” e passarem de bicéfalos a barões. Antes barão no futuro que honesto no presente!

Espero sinceramente que o povo de uma vez por todas abra os olhos e deixe também de ser anencéfalo, deixe de acreditar numa corja de ladrões, mentirosos, canalhas e velhacos que só servem os interesses de quem lhes dá “tacho”. Para que isso aconteça o povo não precisa ser bicéfalo, precisa sim de ter apenas uma coisa. Inteligência!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16


Post 23

por Cordoba, em 09.09.12

E viva a canalha!

Por estranho que pareça, as medidas anunciadas na passada sexta-feira pelo Sr. Primeiro-ministro de Portugal não me surpreenderam.

Acredito sim, que tenha surpreendido todos aqueles que, muito preocupados com “tristezas” de condestáveis mimados, viram para aí as suas atenções e preocupações em vez de estarem atentos e preocupados com a actuação “alegre, hipócrita e demagoga” de canalhas que, fazendo da mentira a sua principal arma, continuam a enganar o povo.

Para ser muito sincero, tal comunicação ao país até me deu vontade de rir.

Aquando da campanha eleitoral e na noite das eleições não deixei de ver o povo de bandeira em punho, bradando a plenos pulmões, celebrando efusivamente a eleição do actual Primeiro-ministro.

No entanto, passado ano e meio da sua eleição, se se fizer um inquérito ao povo, ninguém votou em tal pessoa nem foi responsável pela sua eleição. Deduzo que, ou as eleições foram forjadas ou o povo mente tanto como quem foi eleito.

Não posso deixar de referir que, após tal comunicação, vi na televisão proeminente figura política de outrora, antigo Primeiro-ministro e Presidente da República, afirmar que “sempre fui contra a austeridade”.

Foi??!! Além de Portugal ser governado pela canalha, ainda temos que ouvir os velhacos! Velhacos quando se esquecem do que fizeram e das mentiras e ilusões que transmitiram ao povo. Em vez de virem a público opinar hipocritamente, deviam ter vergonha na cara e prescindir das principescas reformas que auferem e demais mordomias à custa do povo que morre à fome.

Desde que tomou posse, o actual Primeiro-ministro, contrariando tudo o que tinha apregoado durante a campanha eleitoral, anunciou ao país cortes sucessivos nos salários, aumento dos impostos, aumento de taxas moderadoras na saúde e demais penalizações para quem trabalha.

Quantas medidas foram anunciadas que visem os barões? Nenhuma! Quantos Institutos foram encerrados? Quantas Fundações deixaram de receber comparticipações do Estado apenas para acolherem com principescos salários os comparsas dos canalhas? O que foi cortado nas mordomias dos Deputados, membros do Governo, altos cargos da Administração Pública? Em suma, o que o Estado cortou na elite que, de forma parasita, gravita à sua volta?

As medidas anunciadas desde a sua tomada de posse são “mais do mesmo”, isto é, continua-se a sacrificar o povo em nome dum desenvolvimento para os ricos.

Onde está a equidade fiscal tão apregoada? Onde estão os impostos que deveriam ser pagos pelo grande capital? Onde estão os impostos sobre as transacções em bolsa? Onde estão os impostos sobre o grande património?

Aquando do anúncio das anteriores medidas de austeridade, não era preciso ser economista para ver que, retirando poder de compra ao povo o consumo ia diminuir, haveria menos arrecadação de impostos, as empresas veriam as receitas cair e, com isso, o desemprego, mais conhecido como “coiso”, iria aumentar.

No entanto, e tal como acontece com os incapazes e incompetentes, a lição não foi aprendida. E como Portugal, desde o 25 de Abril de 1974, é governado por incapazes e incompetentes, a solução é a continuação da “burrice”!

Quem se convence que, a diminuição da taxa da Segurança Social para o patronato vai conduzir ao aumento do emprego? Se as anteriores medidas que retiraram poder de compra ao povo, conduziram a uma redução na arrecadação de impostos, com mais medidas de austeridade vai aumentar a arrecadação de impostos?

Como disse em Post anterior, há muito tempo que deixei de votar numa canalha política que, da esquerda, ao centro e à direita, não deixa de ser farinha do mesmo saco.

Canalhas, velhacos, mentirosos, hipócritas, demagogos e autênticos parasitas que sugam o sangue dos mais fracos e, quando estão de barriga cheia, vão viver para o estrangeiro de modo principesco ou recebem fabulosas reformas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:24


Mais sobre mim

foto do autor


calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Posts mais comentados



Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D